Como Nossos Filhos

    Só para lembrar o grande Belchior, parafraseei, com o título acima Como Nossos Pais.
                           
  Você sabe quem é Luís Antonio Feliciano Marcondes?

   É ele mesmo. O Neguinho da Beija-Flor. Carioca autêntico, nascido em 1949, atualmente com 66 anos de vida. Sambista, cantor e compositor e intérprete oficial de sua escola desde 1976. Com mais de 40 anos de carreira, sua arte já ultrapassou as fronteiras do Brasil e chegou em mais de 17 países da Europa. Seu estilo é indiscutível. Cada artista é assim, tem seu próprio estilo. E cada estilo conquistas admiradores, fãs e propagadores daquele músico.
     Eu, por exemplo, ao longo de muitos anos valorizando a Música Brasileira (sem essa de MPB, como querem os meios fonográficos, como uma sigla), poderia, aqui, citar muitas canções que continuam marcando a minha vida e tocando bem aos meus ouvidos.
     Algumas são perfeitas (falo como leigo, haja vista não sou do ramo musical). Por isso ser a Música uma das poucas artes existentes. É a arte de quem canta, encanta; é a arte de que se emociona, se alegra, se contenta; é arte do compositor, do musicista, do intérprete, do arranjador, do produtor; é a arte do telespectador, do espectador, do ouvinte, etc.
     Tenho três dezenas de canções cujos letristas denominaram suas obras com nome de mulher: Rita, Maria, Lígia, Dinorá, Marina, Bárbara, Aline, Carla, Conceição, Carolina, Ângelica, Bethânia, Elis, e muitas outras. Todas maravilhosas.
     Voltemos ao Neguinho. Em 1985, ele gravou um LP (vinil), Ofício De Puxador, pela CBS, composto de 11 faixas. A 5ª do lado "B" é Angela, de Serginho Meriti. Para mim, a canção é um primor: 1. Composta na 3ª pessoa do singular; 2. Não traz a palavra VOCÊ ( a qual é repetida em 9 de cada 10 composições brasileiras. Nada contra, apesar de rimas esdrúxulas); 3. A estrutura gramatical é interessante, criativa; 4. A interpretação de Neguinho é de uma grandeza só. Confira comigo:

                                                    ANGELA
                        EU PREFIRO ACREDITAR É MENTIRA/ É BRILHO DEMAIS PARA UM SÓ OLHAR/ É INSPIRAÇÃO DEMAIS É MUITA LIRA/ MAS MEUS VELHOS OLHOS NUNCA IRIAM ME ENGANAR
                        ELA NEGRA NEGRITUDE QUE FASCINA/ SONHAR MENINA, MENINA SENHORA ME DESCONTROLOU/ AO EXPOR SEU LINDO VISUAL NESSA RETINA/ SUA VOZ QUE O PRÓPRIO CANTO ENCANTOU 
                        HOJE EU VI UM LINDO NEGRO ANJO/ ANJO NEGRO LINDO ANJO/ NEGRA ANGELA
                        É QUE EU VI UM LINDO NEGRO ANGELO/ ANJO NEGRO/ LINDO ANJO  NEGRA ANGELA
                        AQUELE CORPO INTEIRO/ ME DEIXOU CABREIRO/ E ESSE INSTINTO MASCULINO VIVE A ME COBRAR, ME COBRAR
                        AH SE EU FOSSE O PRIMEIRO/ SEGUNDOS NEM TERCEIROS OCUPARIAM MEU LUGAR, MEU LUGAR
                        É QUE EU VI UM LINDO NEGRO ANJO/ ANJO NEGRO LINDO ANJO/ NEGRA ANGELA.
 
    Querem mais beleza, mais poesia, amigos internautas. Então, assistam ao DVD Menino De Pé No Chão, desse monstro sagrado do cancioneiro brasileiro, gravado em janeiro de 2008, cujo ponto alto do show dar-se quando o cantor chama sua filha ao palco e canta abraçado à mesma a canção que leva seu nome ou vice-versa. No final ganha um beijo dela.
      É fantástico! Nada pode mais que um beijo de filho. O próprio Vinicius de Moraes reconhece esse valor no POEMA ENJOADINHO. Parabéns, Neguinho, pelo artista valioso que és. 
Tecnologia do Blogger.