Quero Paz!



“Lembrai-vos que a Paz não significa a multidão.
A Paz não se atrai com a festiva espuma de champanhe, nem através de um ramo de oliveira.
Faça-se a Paz! Gritam em ingenuidade os pacifistas, enquanto as guerras continuam matando o homem, seu progresso, sua crença...
            Qual o preço da paz?
            Perguntam aqueles que pensam que tudo o poder pode comprar.
                                               (...)
            Para tocar a Paz, basta existirem as boas vontades.

(Carmem Novoa Silva, escritora Amazonense,
membro da Academia Amazonense de Letras)

            Eu também quero paz. Eu também quero a paz. Ela é possível. É só somar uma pitadinha de vontade de cada um dos 7 bilhões de pessoas espalhadas pela Terra, e ela virá.
            No final de 1979, um jovem cantor e compositor de Natal (RN), de apenas 23 anos, Gilliard (Gilliard Cordeiro Marinho), lançava seu 1º LP pela gravadora RGE, como profissional. Nesse disco, composto de 12 faixas, fez sucesso Brasil afora, a canção Aquela Nuvem. Porém, no lado “B” consta (Faixa 1), um verdadeiro hino à Paz Mundial, cujo poema reproduz na íntegra, a seguir, clamando por harmonia entre os povos, neste ano que se inicia.

                                                           Meditação

                        Senhor, hoje eu olho para Terra
                        E eu vejo todas as sementes
                        Por vós plantadas perecerem
                        Olho para os edifícios, as casas luxuosas
                        Os aparelhos criados para o conforto do homem
                        Mas eu não me iludo Senhor
                        E me pergunto:
                        De que adianta saber que tudo está com a mente
                        Voltada para as coisas bem distantes
                        Se esquecemos de nós mesmos Senhor
                        De que adianta eu fazer o que faço da vida
                        Eu frequentar os lugares que frequento
                        Se na verdade apenas o meu corpo se satisfaz
                        Pois a mente continua na mesma
                        E entorpecida por frustrações.
                                    De que adianta Senhor, ter a imagem de rico
                                    Perante os amigos se muitas vezes
                                    O próprio filho chora à falta de um pão
                                   De que adianta Senhor, tanto trabalho pra
tão pouca recompensa
E tanta criatividade pra tão pouco senso
E tanto tempo pra tão pouca vida
                        Infelizmente Senhor, de que adianta eu caminhar
                        Aos quatro cantos do firmamento
                        Pedindo pra que todo meditem
                        Afinal, de que adianta
                        Eu escrever um livro
                        Argumentando a paz
                        Eu escrever uma frase
                        Argumentando o amor
                        Se na verdade
                        Existem homens que são pagos
                        Para criticar e derrubar os outros
                        Em horrenda sede pela perseguição.
                                   E por mais que eu fale
                                   Por mais que eu cante
                                   Por mais que grite
                                   Ninguém me escutará
                                   E é por isso que eu vos peço Senhor
                                   Que me acolha no seu manto de paz
                                   E que nesse mundo de muitos mitos
                                   E poucas adorações
                                   E muitas fantasias e poucas realidades
                                   Fazei com que eu procure realmente viver
                                   E não apenas passar pela vida.

            Que a paz faça morada em cada pessoa, em qualquer que seja o continente, em qualquer hora do dia e da noite; que a palavra paz seja pronunciada em qualquer idioma; que as palavras “paz sonhada”, sejam revogadas e promulgadas as palavras “paz vivida”. Quero paz!

Comentários

  1. Nossa! Essa marcou no infinito da alma. Quem somos nós quando falamos e não vivemos a paz.

    ResponderExcluir
  2. Nossa! Essa marcou no infinito da alma. Quem somos nós quando falamos e não vivemos a paz.

    ResponderExcluir
  3. Ah a paz. A buscamos no mais das vezes nos derredores de nós mesmos. Procuramos alhures de nossos sentimentos. Esperamos muitas vezes de nossos semelhantes à atitude pacífica. Espelhamo-nos momentaneamente em alguém ou algo especialmente passageiro e efêmero... Porém no mais das vezes ainda não nos dispomos a lutar, a batalha em nós mesmos. A paz sonhada por muitos, sentida por tantos, vivida por poucos... Um trecho de certa canção ressalta: a paz do mundo começa em mim, se tenho amor com certeza sou feliz... Necessário se faz que desenvolvamos no campo de nosso coração, fundamentais ingredientes: Amor, Perdão, Caridade. Ao exercitar em nós, colheremos em pouco os benefícios característicos que naturalmente surgirão em forma de Serenidade, Indulgência, Resignação. Caminhando assim iremos aos poucos nos harmonizando com nossa consciência que nos fará serenarmos na caminhada da vida, e ajudará pelos exemplos resultantes desse modo de agir, seres que ainda não se compreendem que ainda não se aceitam, pois, ainda carregam uma guerra num coração adoecido pelas dores resultantes ocasionados pelos germes devastadores que fomentam as guerras e ódios nos mais diversos campos de atuação humana, o Egoísmo e o Orgulho. Nada impedirá a marcha do progresso que marcará a humanidade para um novo momento, uma nova era, na qual o bem prevalecerá sobre o mal, e determinará novas concepções de felicidade e paz, que marcará a vitória do ser humano na batalha no campo de seu coração. Avancemos confiantes e humildes e haveremos de colher os frutos desse proceder, a paz de consciência e a harmonia universal em consonância com as leis imutáveis da criação que regem e nos orientam para nosso integral desenvolvimento moral e espiritual.
    Obrigado Gomes por proporcionar a possibilidade de refletirmos a paz. Fortíssimo abraço. Que a paz esteja com vos. Assim Seja.

    ResponderExcluir
  4. Lindo esse gesto de solidariedade. por dividir conosco essa tão singelo e forte reflexão. um abraço muito grande ao senhor professor Gomes.
    quem me deras ter conhecido mais Grandes homens como o senhor.
    tenho um apreço muito grande e um respeito imenso pelo senhor e sua sabedoria.
    compartilho as coisas boas e no meu face essas coisas boas estão presentes...
    que Deus velha te abençoar e iluminar cada dia mais e mais.<3

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário...