Chico da Silva, para todo Brasil

    Francisco Ferreira da Silva, o Chico da Silva, cantor e compositor, nasceu em Parintins-AM, há quase 71 anos, daqui dos rincões amazônicos partiu para seguir carreira artística no Rio de Janeiro, ainda nos anos 70, de lá ficou conhecido no resto do Brasil. Hoje é considerado um músico de currículo invejável. Foi a partir da década de 1980, que seu samba encantou gerações e conquistou muitos fãs.
     Compositor de mão cheia, ou seja, completo. Mas um detalha: nunca deixou de fazer canções em parceria, além das suas, é óbvio. Isso é bom para todo e qualquer artista. Quem é músico sabe disso. Compôs para a cantora Alcione; trabalhou com o Martinho da Vila e outros artistas.
    Chico nunca deixou para traz as suas origens parintinenses nem amazonenses. Se hoje o Festival de Parintins é notícia nacional, e até mesmo visto em outros lugares latinos americanos e em outros continentes, não era assim há 40 anos, é claro.
    Ele também é autor brilhante de toadas do Boi da Ilha de Parintins. Compôs algumas das mais belas canções de toadas dos festivais, por exemplo, Vermelho, que ganhou projeção nacional, e foi gravada por vários cantores, inclusive Fafá de Belém.
    No samba, além de Sufoco, dele e do parceiro Venâncio, que foi um grande sucesso na interpretação de Alcione, é autor de outros sucessos, Convite a Roberto Carlos, é um deles. Por sinal é um samba espetacular que homenageia o ''Rei'' convidando-o a largar sua guitarra e subir até o Morro para tocar uma viola e botar uma brasa no samba.
    Particularmente a composição TUDO MUDOU, de 1979, é um espetáculo à parte, porque retrata os vícios de linguagem da época, sem perder de vista outros fatos do dia a dia que vão desaparecendo do contexto social brasileiro e, até mesmo mundial. A seguir esse poema-canção  na íntegra:

                     Mudou,
                     Meu pandeiro de couro se modificou
                     O progresso da arte o plastificou
                     A viola de pinho se eletrificou
                     Tudo mudou
                            Mudou,
                            Já existe uma orquestra num só instrumento
                            A ciência aniquilou com nosso talento
                            E o artista é quem sofre com esse esse advento
                            Tudo mudou
                                   Mudou,
                                   O idioma gritando cadê meu capricho?
                                   É o pacas, é o putes
                                   É o pow, falou bicho
                                   Pra cultura primária o esforço mudou
                                   O mental mudou
                                   Não comunicou
                                   É o Brasil, país que tem seu dialeto
                                   O ok não é nosso, não é o concreto.
                                   A corruptela de está ficaria mais certo ''tá''
                                   Tudo mudou
                                          Mudou,
                                          O abraço não chora para quem vai partir
                                          O adeus não conversa com quem vai ficar
                                          O sorriso não fala pra quem vai sorrir
                                          Tudo mudou
                                                 Mudou,
                                                 O olho não tem graça pra quem vai olhar
                                                 Só Deus desse mundo foi quem não mudou
                                                 E o mundo de Deus ainda estar no lugar
                                                 Mas, o resto mudou e como mudou
                                                 O menino proveta se enche de glória
                                                 A ciência da vida perdeu a memória
                                                 Ou será que o amor vai sair da História?
                                                         Tudo mudou
                                                         Tudo mudou
                                                         Mudou

    É meu caro Chico, muita coisa mudou. Perdemos muitos valores que jamais serão substituídos. Principalmente os valores familiares; os valores éticos; os valores morais; os valores religiosos; os valores políticos; os valores linguísticos, e por aí vai, lamentavelmente. Assim caminha a humanidade...
     Este espaço não faz crítica pela crítica, propõe solução, faz observação sobre esse ou aquele tema que achar necessário. Por isso entendo que o cantor, o compositor, o poeta, o pai, o cidadão Francisco Ferreira da Silva, mas conhecido como Chico da Silva, seja mais valorizado, principalmente aqui em Manaus e lá em Parintins. Não estou dizendo que não o é. Mas que seja mais e mais. Se ele fosse, só exemplificando, um cidadão nordestino, aposto que sua pessoa, sua arte e seu nome, seriam de uma grandeza de Luiz Gonzaga, de Dominguinhos, de Patativa do Assaré, de Vitalino, etc, etc, etc.
      Vamos nos unir, seja sociedade civil, sejam entidades governamentais ou religiosas, para prestigiarmos mais e mais nossos artistas, escritores, pesquisadores, jornalistas, etc, regionais, sem desmerecer os que aqui chegam de outras paragens e contribuem para a nossa cultura, nossa educação, nossa arte; para a ciência, de modo geral.
       Viva a arte.
       Viva a vida.
       Viva Chico da Silva!

Referências: LP (vinil), de 1979, Gravadora Polydor/PolyGran; Dic, Albin da MPB; e www. Letras. com.br/biografia.
Tecnologia do Blogger.