Vintém de cobre

   Você sabe quem foi Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas?

   É ela mesma, a escritora e poetisa goiana Cora Coralina (1889-1985). A Ana era doceira de profissão; a Cora era escritora e poetisa por aptidão, haja vista, desde jovem já tinha o dom da escrita, a arte de escrever.   
   Seus estudos se limitaram, apenas ao ensino primário. Mas, sempre foi apegada às letras. Assim, aos 14 anos de idade, já escrevia poemas e crônicas, o que fez até seus quase 100 anos de vida.
   Cresceu, casou, teve filhos e aprimorou as letras literárias. A idade avançou, a velhice chegou, a sabedoria se instalou, e com quase 77 anos de idade publicou seu 1º livro: Poemas dos Becos de Goiás e Estórias Mais (1965). Onze anos depois, publicou Meu Livro de Cordel
   Vintém de Cobre - Meias Confissões de Aninha, é o título de outra obra sua, de 1983. ''No tempo do mil réis, vintém de cobre era a moeda mais desvaliosa, aquela que mal comprava um doce. Cora Coralina batizou com o nome da velha moeda as quase memórias, ou meias-confissões, como ela prefere, redigidas em versos...''
   Cora é autora de frases, citações e aforismos memoráveis, por exemplo é dela este: ''fiz a escalada da montanha da vida/ removendo pedras e plantando flores''. O poema ''Oração do Milho'', é memorável. O milho suplica a Deus reconhecendo a sua inferioridade diante do trigo, mas agradece ao Senhor, por ser um vegetal necessário...
   Outro poema que nos remeta a uma reflexão universal é ''Aos Moços'', ou ''Ofertas de Aninha''. Desse, extrai trechos do livro-título desta página, abaixo: 

                             Eu sou aquela mulher
                             a quem o tempo muito ensinou.
                             Ensinou a amar a vida
                             e não desistir da luta,
                             recomeçar na derrota, 
                             renunciar as palavras
                             e pensamentos negativos.
                            Acreditar nos valores humanos
                            e ser otimista.
                                          Creio na força imanente 
                                           que vai ligando a família humana,
                                           numa corrente luminosa
                                           de fraternidade universal.
                                           Creio na solidariedade humana,
                                           Na superação dos erros
                                           e angústias do presente.
                                                       (...)
                                                         Aprendi que mais vale lutar
                                                         do que recolher tudo fácil.
                                                         Antes acreditar do que duvidar''
 
                                                       O Amor na Velhice 

   A escritora e poetisa Olympia Salete Rodrigues, nos brinda com primorosas palavras, ao tecer comentários sobre Cora, por ser ''aquela mulher que se descobriu poeta já bem velhinha, depois de uma vida de luta.'' E acrescenta: ''Ela pede e grita no velho como pedia e gritava no jovem que ele foi''.
   ''Na poesia de Cora Coralina, a natureza, a gente do povo, a história familiar e a religião se mesclam em imagem e ritmos fortes, em que não se manifesta, porém, uma atitude estética e eticamente ingênua. Ao contrário, nota-se mesmo na autora um lastro coerente de erudição literária, que lhe confere, aqui e ali, certo preciosismo de quem se manteve fiel, ao mesmo tempo, à terra e às melhores fontes do português.
   Portanto, foi justo, pelo conjunto e qualidade de sua obra, o prêmio Juca Pato, que recebeu da União Brasileira de Escritores.
   Seu cotidiano foi a vida e a sua vida foi marcada pela esperança de dias melhores para a humanidade.

Referências 
1. Encyclopaedia Britannica Bublishears; editor: Donaldson M. Garschagem, vol. 4. P. 413.
2. Olympia Salete Rodrigues, www.paralerepensar.com.br
 
 
     
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           
Tecnologia do Blogger.