Tom: o arquiteto de sons

    "Mais que uma simples categoria de manifestação artística, a música popular brasileira é um tipo catalisador do pensamento e da cultura nacionais. Há muito a música foi eleita como veículo em que nós, brasileiros, nos sentimos mais confortáveis para comunicar nossas paixões, nossas angústias, medos, ressentimentos, procuras, nossas posições políticas".
    Assim,  é apresentada a Coleção MPB Compositores, composta por 40 CDs, onde cada um deles vem acompanhado por um caderno-encarte de 20 páginas, com relatos sobre a vida e a carreira artística do artista. Entre eles, alguns como: Noel Rosa, Cazuza, Gil, Cartola, Tom, Vinicius, Djavan, Geraldo Pereira, Vandré, Caymmi, Gonzaguinha, etc. Curiosamente somente duas mulheres: Rita Lee e Dolores Duran. 
    O lançamento desse material, ocorreu em 1997. Uma iniciativa da Editora Globo com a gravadora RGE DISCOS. São quase 500 canções, as quais são interpretadas por seus criadores e outros artistas. Vários. Quem adquiriu tem em seu acervo um verdadeiro tesouro, uma obra prima do nosso cancioneiro brasileiro. 
    Curioso sobre o sucesso de Garota de Ipanema. resolvei lê o encarte número 13, dedicado a Tom Jobim. Mas, quem disse que foi tarefa fácil falar sobre ele, sem falar do seu parceiro Vinicius? A vida artística do maestro está entrelaçada com a vida artística do poetinha. O primeiro pode ser chamado de o Arquiteto de sons. O segundo de o Embaixador da Canção.  
    Sobre o "Arquiteto", Toquinho disse: "Para quem o conheceu, sua inteligência e seu humor deram sempre um colorido especial às suas harmonias irretocáveis e suas melodias eternas. Tom fui tudo para minha geração" . Sobre  o "Embaixador", João Carlos Pecci disse: " Essencialmente poeta, na busca incessante do amor, tanto na vida quanto na arte" . 
    Mesmo assim, vou puxar um pouquinho para o Tom, trazendo Vinicius na retaguarda do assunto ora comentado. Em outra oportunidade, a ordem será invertida. 
    Na contracapa do encarte (p. 22), os editores escreveram: "Tudo teria sido diferente na história da música popular brasileira se ele tivesse decidido seguir carreira como arquiteto. Talvez o mundo não descobrisse o que, no fundo, nós já sabíamos, mesmo antes do Tom: que a mistura de raízes, de ritmos e de estilos que sempre povoaram a nossa música dava como resultado uma expressão artística de criatividade única, manifestação maior de nossa cultura e contribuição ímpar do Brasil para a arte de todos os tempos. Mas Tom Jobim não se tornou arquiteto. Ele emergiu das águas de Ipanema, no Rio de Janeiro, e trouxe em suas mãos estrelas e conchas, criadas por ele mesmo, que acabaram materializando vários de nossos sonhos e de nossas esperanças. Mais que isso: o olhar de seu ritmo passou as desvendar-nos e a forçar-nos a, alegremente, entender um dos significados de ser brasileiro".
    Era final da década de 50, o Brasil  vivia a euforia da modernidade. O país abria suas portas para o mundo. A obra de Tom se encarregou de jogar nova e revigorante luz sobre a música brasileira e mundial. Navegando nas águas de Tom, de João Gilberto e de Vinicius, a  bossa nova atracou no porto brasileiro e mudou para sempre os rumos da história da nossa música. 
    Segundo o Edu Lobo, um dos parceiros de Jobim, o maestro tinha duas inspirações para refinar sua obra: os sons da floresta e a beleza das mulheres. Ele conta ainda, que quando Tom já havia criado mais de 300 composições e olhava as garotas de longe, costumava dizer: " Cada mulher que não tenho é uma música que faço".
     Vinicius e Tom foram grandes parceiros e juntos criaram clássicos da nossa música como: Se Todos no Mundo Fossem Iguais a Você, Garota de Ipanema, Chega de Saudade, Eu Sei Que Vou Te amar e Canção do Amor Demais, que revolucionaram  o conceito  de música no Brasil, com a criação da bossa nova, influenciando artistas de todas as partes do mundo até os dias atuais, há mais de meio século.
    A dupla frequentava o bar Veloso, em Ipanema, local de nascimento da música Garota de Ipanema. Essa  canção (até 1997) contava "com mais de 180 gravações diferentes e, pelo que se conhece, já foi interpretada mais de três milhões de vezes." Ainda sobre esse fenômeno musical, há uns dois anos, o maestro Eduardo Lages, disse, no Programa Raul Gil, do SBT, que das 5 músicas brasileiras mais executadas no mundo, entre elas, Detalhes,  Garota de Ipanema, continua em primeiro lugar, já havia algumas décadas. 
    Porém, apesar de tudo isso, encerro com os primorosos versos abaixo, de Vinícius e melodia de Tom que é 
   
                                  SE TODOS FOSSEM IGUAIS A VOCÊ 

       Vai tua vida
       Teu caminho é de paz e amor
       A tua vida
       É uma linda cação de amor
       Abre os teus braços e canta a última esperança
       A esperança divina
       De amar em paz...

Se todos fossem iguais a você
Que maravilha viver!
Uma canção pelo ar
Uma mulher a cantar
Uma cidade a cantar
A sorrir, a cantar, a pedir
A beleza de amar...
Como o sol, como a flor, como a luz
Amar sem mentir nem sofrer
Existiria a verdade
Verdade que ninguém vê
Se todos  fossem nu mundo iguais a você!    

É isso aí. Se todos (ou parte do todo), na vida fossem iguais a vocês - não ousaria compará-las como os artistas, mas como seres humanos, como pessoas - Tom, Vinicius, Fernando Sabino, Marília Pêra, Odete Lara, João Sabino, Amílcar Azevedo, Bete Lago, Cecilia Meireles e muitos outros. Se as pessoas vivessem  declamando..., amando..., gozando..., cantando..., rezando/orando..., compartilhando..., criando..., representando/apresentando..., escrevendo... e acima de tudo vivendo, não teríamos uma parcela da sociedade, sangrando..., matando..., roubando..., enganando..., furtando..., profanando..., contaminando..., explorando... a vida. A vida dos inocentes, a vida  dos indefesos, a vida dos justos. A vida. Mas tínhamos sim "A BELEZA DE AMAR...".


Referências
1. Coleção MPB Compositores, encartes 13 e 18 Tom e Vinicius, respectivamente. Editora Globo/RGE Discos, 1997.
2. Coleção Literatura Comentada, Abril Educação, 1980, p. 75.


 


Tecnologia do Blogger.