Oswaldo, dos Bandolins

   No último dia 15 de março deste ano, Oswaldo Viveiros Montenegro completou 60 anos de vida. Ele é o  Oswaldo Montenegro, talentoso cantor e compositor, carioca, nascido no Grajaú. Compositor, inclusive de trilhas sonoras para peças teatrais, balés, cinema e televisão.
   Aos 7 anos de idade, foi morar em São João Del Rey, Minas Gerais. A música de lá o influenciou tanto, que aos 8 anos, começou a estudar violão. Foi nessa fase que compôs a sua primeira canção, Lenheiro, nome do rio que corta a cidade.
   Aos 13 anos, já de volta ao Rio de Janeiro, venceu o seu primeiro Festival, com a canção Pra Ninar Irmã Pequena. Em 1971, aos 15 anos, mudou-se, com a família, para Brasília ( por isso algumas de suas músicas homenageiam aquela Capital), onde envolveu-se, artisticamente, mais ainda com música e músicos. Por exemplo, aí ele conheceu o maestro Otávio Maul, aumentando assim, o seu interesse pela música erudita.
   Como "sempre adorou ler devorava coleções de Julio Verne, Monteiro Lobato, Malba Tahan", passou, sozinho, a intensificar seus estudos sobre técnica e teoria musicais, como também, a estudar Música, A História da Música e Grandes Compositores. Chegou a cursar duas faculdades: Comunicação e Música. Não as concluiu.
   Ainda era um adolescente, mas sabia que queria ser artista. Talento e esforço era o que não lhe faltavam. Porém, seu nome não era conhecido pelo grande público. Continuava perseguindo seu objetivo profissional. Em 1972, classificou Automóvel no último Festival Internacional da Canção, da Globo. Em 1974, com Mongol, amigo de infância, escreveu a sua primeira peça musical, João Sem Nome, que foi encenada em 1975. Nesse ano, assinou seu primeiro contrato com uma gravadora- Som Livre. 
    Em 1976, aos 20 anos, volta para o Rio de Janeiro, e, ao lado de Marlui Miranda e Vital Lima, e a convite de Hermínio Belo de Carvalho, faz o seu primeiro show de artistas desconhecidos da série "Seis e Meia".
    Finalmente lança seu primeiro disco (LP) Trilhas, em 1977, sob selo independente. No ano seguinte, é lançado o seu primeiro LP por uma gravadora: Poeta Maldito, Moleque Vadio. Sobre esse trabalho, o próprio autor disse: "O disco não teve nem mixagem, foi gravado direto. Foram feitas 300 cópias, vendidas num musical que estávamos fazendo. Infelizmente não existe a master disso e o disco absolutamente se perdeu. O Trilhas tem o poema Metade que mais tarde regravei ao vivo". 
    Em 1979,  Montenegro estourou no Festival da extinta TV Tupi, com a música Bandolins, que foi classificada em terceiro lugar. No ano seguinte, ganhou o primeiro lugar no Festival da Globo MPB-80 com a canção Agonia, de autoria de Mongol. O sucesso foi tão grande, inicialmente com Bandolins, que a partir de então, seu nome passou a ser nacionalmente conhecido. Naquele mesmo ano, 1980, lança o seu segundo LP pela gravadora WEA, alcançando o seu primeiro disco de OURO.
    De acordo com o próprio cantor, esse segundo trabalho é considerado pela maioria das pessoas "como sendo a minha cara. Talvez pelo enorme sucesso que fez. Por isso é identificado como minha verdadeira face". 
     São muitos os sucessos do seu vasto repertório. Aqui, selecionei alguns como Labirinto, Cristal, Os Menestréis, Noturno, Lua e Flor, Vale Encantado, A Lista, Lendas da Ilha, Tipos, Metade, além dos já citados, etc. Obviamente, sua discografia também é vasta. Eis aqui alguns títulos: Trilhas (LP/77), Asa da Luz (LP/81), Drops de Hortelã (LP/85), com participação da atriz Glória Pires, Aldeia dos Ventos (LP/87). Em 1989 e 1990, lançou dos 2 LPs pela Som Livre. A Lista (CD/99), é uma produção independente, A Porta da Alegria (CD/2015) e muitos outros trabalhos.
     Uma de suas características artísticas é dar total valor aos seus parceiros com os quais já trabalhou ou trabalha como Zé Ramalho, Mongol, Bárbara Borges, etc. Por exemplo, tem uma das suas parcerias mais sólidas da MPB ao lado de Madalena Salles, a Madá, que o acompanha com suas flautas.
    Quando ouvi Bandolins pela primeira vez, nos idos dos anos 80, foi pelo rádio. Haja vista que eu morava há quase mil quilômetros da Capital Manaus, na cidadezinha de Lábrea. Nós, os jovens, tínhamos por hábito ouvir as músicas do nosso gosto  e anotar os versos mais bonitos ou compreensíveis. Sobre esta música, fiquei extasiado e anotei estes versos:
   
                                     Valsando, como  valsa uma criança
                                     Que entra na roda
                                     A noite tá no fim
                                     E ela valsando só na madrugada
                                     Se julgando amada ao som dos bandolins.

    O mesmo fiz com Agonia, quando adquiri o LP em 1982. Como não havia o encarte, copiei estes versos:   

                                    Se fosse resolver
                                    Iria te dizer
                                    Foi minha agonia
                                              (...)
                                    E  vou contagiar diversos corações 
                                    Com minha euforia.
    
    Já morando  em Manaus, no final da década de 80, a coisa muda para melhor. Tendo acesso a TV, Rádio FM, Jornal e Revista, o meu encanto pela obra desse tão versátil artista, só aumenta. Certa feita, alguém fez chegar às  minhas mãos, o poema Metade. Na última estrofe o autor grafou:

                                    E que a minha loucura seja perdoada
                                    Porque metade de mim é amor
                                    E a outra metade... Também.

    O tempo passa e essa artista segue cada vez mais genial. Até que, uma certa telenovela global trouxe em sua trilha sonora Lua e Flor. A canção é um espetáculo à parte na carreira de Montenegro, por dois motivos: 1. Pela musicalidade. É de uma beleza ímpar; 2. Pela estrutura dos versos e pelas 7 estrofes. Tudo simples, mas casando coisa com coisa. Por sinal, todas as 7 estrofes  são finalizadas em reticências. Um primor de letra. Aqui, destaco os seguintes versos:
   
                                    Eu amava
                                    Como amava um pescador
                                    Que se encanta mais
                                    Com a rede que com o mar
                                    Eu amava como jamais poderia
                                    Se soubesse como te encontrar... 

    No entanto, é em A Lista, que o poeta, o compositor, o músico, o intérprete, se supera. O poema está composto por 24 versos, sendo cada um mais belo que o outro. Ao ouvi-lo, não há como não se emocionar. O ouvinte volta no tempo da vida. Não tenha dúvida! Volta no tempo (ontem); para no tempo (hoje); e segue no tempo (amanhã). As interrogações diretas ou indiretas e as exclamações dos versos se completam. Ou seja, dão mais sentido, mais ênfase. Cada verso fala por si, tem recado próprio, juntos, então, falam por mim, por você, por todos nós. Leia a íntegra abaixo:

FAÇA UMA LISTA DE GRANDES AMIGOS
QUEM VOCÊ MAIS VIA HÁ DEZ ANOS ATRÁS
QUANTOS VOCÊ AINDA VÊ TODO DIA
QUANTOS VOCÊ JÁ NÃO ENCONTRA MAIS...
FAÇA UMA LISTA DOS SONHOS QUE TINHA
QUANTOS VOCÊ DESISTIU DE SONHAR!
QUANTOS AMORES JURADOS PRA SEMPRE
QUANTOS VOCÊ CONSEGUIU PRESERVAR...
ONDE VOCÊ AINDA SE RECONHECE
NA FOTO PASSADA OU NO ESPELHO DE AGORA?
HOJE É DO JEITO QUE ACHO QUE SERIA
QUANTOS AMIGOS VOCÊ JOGOU FORA?
QUANTOS MISTÉRIOS VOCÊ SONDAVA
QUANTOS VOCÊ CONSEGUIU ENTENDER?
QUANTOS SEGREDOS QUE VOCÊ GUARDAVA
HOJE SÃO BOBOS  NINGUÉM QUER SABER?
QUANTAS MENTIRAS VOCÊ CONDENAVA?
QUANTAS VOCÊ TEVE QUE COMETER
QUANTOS DEFEITOS SANADOS COM O TEMPO
ERAM O MELHOR QUE HAVIA EM VOCÊ?
QUANTAS CANÇÕES VOCÊ NÃO CANTAVA
HOJE ASSOBIA PRA SOBREVIVER?
QUANTAS PESSOAS QUE VOCÊ AMAVA
HOJE ACREDITA QUE AMAM VOCÊ?

    Depois dessa, você quer que eu diga o quê! Eu que não sou poeta, escritor ou jornalista. Mas, apenas um simples admirador  que gosta da boa música e literatura, recomendo a frase da jornalista amazonense, Mazé Mourão: "Não desista das pessoas que você ama". Você acredita que as pessoas amam você?. Faça um rol com os nomes delas. Vá lembrando uma a uma. agindo assim, o teu prazer de amar será pleno. Vai! Começa hoje e continua amanhã. E...



   Referências:
   1. Alineescreveaqui, A poesia da Lista de Oswaldo Montenegro
   2. Wikipedia. org
   3. Oswaldomontenegro. com. br
   4. www. diariofm. com.br.
   5. Pensador. Uol. com. br
   6. www. Beakauffmann. com
   7, LP MPB-80, vol 1, lado A, fx. 1,Rede Globo/SomLivre, p.1980.

          
Tecnologia do Blogger.