A morenice de Zizi Possi


    Você sabe quem é MARIA IZILDINHA? É ela mesma, a cantora Zizi Possi, 61 anos. Nascida no bairro do Brás, na cidade de São Paulo em 28 de março de 1956. O registro do seu nome é uma homenagem à Ssanta Menina Izildinha. Zizi é descendente de italianos de Napólis. Quando criança estudou piano e canto. Na adolescência, aos 17 anos, foi morar em Salvador, Bahia, onde estudou composição e regência. Após dois anos abandonou a faculdade para se dedicar à carreira artística, iniciando-a pelo teatro.
    Alguns anos depois mudou-se para a cidade do Rio de Janeiro, e por meio do produtor musical Roberto Menescal, assinou contrato com a gravadora Philips e depois com a Polygram, onde lançaria quase todos os seus discos. O primeiro deles, "Flor do Mal", de 1978. O primeiro grande sucesso foi Pedaço de Mim, gravado para um disco de Chico Buarque, autor dessa canção e título do segundo LP dela, de 1979, do qual se destacaram as músicas: Nunca e Luz e Mistério.
    A partir do início da década de 1980, definitivamente conquistou seu merecido espaço no meio artístico do cancioneiro brasileiro com gênero: MPB, acústico, pop, rock progressivo. Nessa mesma década lança vários discos. Em 1985, participou do espetáculo O Grande Circo Místico. Participou ainda, do projeto "Nordeste Já", ou seja, uma das 155 vozes das canções Chega de Saudade e Seca D' agua lançadas em disco compacto, é sua.
    No final daquela década, isto é, em 1989, lançou "Estrebucha Baby", considerado tanto por ela como pela crítica especializada como um dos melhores discos. Mas, um fracasso de vendas. Isso marcou o seu afastamento do padrão comercial (só vender, apenas).
    "Ao longo da carreira Zizi se consagrou como cantora popular através dos sucessos como: Nunca, Luz e Mistério, Meu amigo, meu herói, Caminhos do Sol, Engraçadinha, Eu Velejava com Você, O amor Vem pra Cada Um, Dê um Rolê, Luiza, Perigo, Esquece e Vem, Noite, A Paz e principalmente Asa Morena. Esta última, do disco homônimo lançado em 1982, foi um sucesso radiofônico e comercial".
    A princípio, é sobre esse LP, "Asa Morena" com a canção homônima de autoria de Zé Caradípia, que era executada todo instante nas rádios de todo país, marcando uma época. principalmente quando se ouvia esta estrofe:

                               Me toma sem pensar
                               Num gesto muito forte
                               Unido o sul e o norte do meu corpo
                               Frágil corpo com a mais pura emoção.

    O mesmo disco traz outras composições - ao todo são 10 - como Viver, Amar, Valeu (Gonzaguinha); Nem Quero Saber (Vitor Ramil); Sopro de Amor (Lula Queiroga), entre outras.
    Foi a partir de então, por considerá-la bela, talentosa, e de uma voz inconfundível, que passei a ouvi-la assiduamente e, reuni, nestes 35 anos,  parte de sua discografia  como "Amor e Música", (LP) de 1987; "Bossa" (CD) de 2001; "Passione" (CD) de 1998; "Estrebucha Baby" (LP) de 1989; "Sobre Todas as Coisas" (LP) de 1991; "Pedaço de Mim" (LP), de 1979, "Per Amore" (CD) de 2006; "Asa Morena" (LP) de 1982; "O Melhor de Zizi Possi" (CD) 1998, entre outros trabalhos.
    Zizi pode, sem dúvida alguma pode ser inserida nestas palavras de Xixa Motta, quando diz:
 
    "A canção é um milagre compartilhado entre o autor e o intérprete. A música nasce como uma muda fulguração no peito do compositor, mas só ganha vida e sonoridade na alma e na voz dos seus cantores. É a partir dessa comunhão de duas emoções, dessa identidade de sentimentos entre que canta e quem compõe que se propaga a se difunde, na sensibilidade popular, o doce mistério da música".

    Assim, ocorre com Zizi e outras milhares de vozes artísticas no Brasil e fora dele, o encontro de emoções. Há uma máxima que diz: "Gosto não se discute". Há um cunho de verdade nisso. Eu, por exemplo, considero o disco (LP) "Sobre Todas as Coisas", incomparavelmente o melhor de todos da carreira dessa cantora. A começar pela capa com foto de Paulo Vasconcellos. Direção artística: Antonio Duncan. Direção musical: a própria Zizi. Tem mais: em "Eu Te Amo" e "Sobre Todas as Coisas", piano de Jetter Garotti; em "Rebento", "Corsário", "Não Minto pra Mim" e "O Que É O Que É, piano de Pier Francesco Maestrinni e piano de Alex Meirelles nas demais canções como "Sentimental Demais", "A Paz", "Isla Para Dos",etc.
    "Sobre Todas as Coisas" é um disco impecável e imperdível, repito. Zizi inicia Com Que Roupa (Noel Rosa) e termina com Meninos de Braçanã (Arnaldo Passos/Luiz Vieira). Passando por Sentimental Demais ((Jair Amorim/Everaldo Gouveia), sucesso estrondoso na voz do saudoso Altemar Dutra; Dedicado a Você (Dominguinhos/Nando Cordel); Eu Te Amo (Chico Buarque/Tom Jobim); Sobre Todas as Coisas (Chico Buarque/Edu Lobo); Barato Total e Rebento (Gilberto Gil); A Paz (Gilberto Gil/João Donato); Corsário (João Bosco/Aldir Blanc), entre outras.
    Reunir num único disco, clássicos da nossa música como Corsário, Rebento, O Que É O, A Paz, Eu Te Amo, Com que Roupa, Sentimental Demais, Alvorada, Não Minto pra Mim, não é tarefa fácil para produtor nenhum. A sonoridade do disco é uma coisa impressionante! Digo: não precisa ser especialista em música, basta ouvi-lo.
    A seleção das músicas - praticamente todas aqui citadas - deve ter ocorrido de forma criteriosa ( e acertada). Por exemplo, vai-se de Noel Rosa, passa por Cartola, Chico Buarque, Tom Jobim, Gilberto Gil, João Bosco, Gonzaguinha e finda com Luiz Vieira. É um espetáculo!
     Alvorada (Cartola/Hermínio Belo de Carvalho/Carlos Cachaça), escreveram estes versos:
                                         
                                                    Alvorada lá no morro, que beleza!
                                                     Ninguém chora, não há tristeza
                                                     Ninguém sente dissabor
                                                     O sol colorindo é tão lindo, é tão lindo!
                                                     A natureza sorrindo, tingindo
                                                      Tingindo!

    Em Isla para Dos (Chien García/Alonso), estão estes versos geniais, assim:

                       Voy a tener un mundo a la medida
                        donde tú y yo seremos un verano 
                        una pequeña y encantadora isla
                        deter más primaveras que verenos
                        bajo el ardiente sol de las pasiones
                        crescerá nuestro amor fuerte y risueño.

    Corsário tornou-se o "hino nacional da canção" na interpretação de Elis Regina. Zizi iguala-se à pimentinha. Voz limpíssima (e linda). E ainda tem em seu favor a fantástica melodia das sonoras notas extraídas do piano do maestro Francesco Maestrinni. O conjunto, portanto, é de uma beleza ímpar. Assim, vamos, então, à letra desse clássico.

                                                   C O R S Á R I O

    Meu coração tropical está coberto de neve
    Mas ferve em seu cofre gelado
    a voz vibra e a mão escreve mar...
    Bendita lâmina grave que fere a parede
    e traz  as febres loucas e breves
    que mancham o silêncio e o cais
    Roseirais, nova granada de Espanha
    por você, eu, teu corsário preso
    vou partir a geleira azul da solidão
    me agarrar na mão do mar, me arrastar até o mar 
    procurar o mar
    Mesmo que eu mande em garrafas mensagens por todo o mar
    Meu coração tropical partirá esse gelo, irá
    Como as garrafas de náufragos e as rosas partindo o ar
    Meu coração tropical partirá esse gelo, irá.

    "Ela faz disparar o coração das pessoas. Qualquer ideia que a Zizi tiver na vida eu vou sempre querer fazer com ela". Garante Edu Lobo. Nós também, os seus milhares de fãs espalhados aqui e fora do país, com certeza, estaremos sempre com os nossos corações disparados por ela, pela sua arte. Ela, essa talentosa e bela morena: Zizi Possi.


    Referências
    1. www, google.com.br
    2. Encarte do LP "Asa Morena", philips/polyGram, 1982
    3. Encarte da coleção "Maria Bethânia", com 6 LPs, Philips/PolyGram, 1991.
    4. Encarte do LP "Sobre Todas as Coisas", Gravadora Eldorado, 1991.
Tecnologia do Blogger.