Luis Kiari: sinceridade emocional



     Em 2015, num momento de estudo, decidi colocar algum vídeo musical no Youtube para escutar . Eu tinha decidido escutar Maria Gadú, porque fazia muito tempo que não apreciava. Então, acessei o canal do youtube da cantora e vi um vídeo com o título da música “Quando fui chuva”. Na hora pensei: “Nossa, não conheço essa música. Será esta!”.  No vídeo da música, Maria Gadú dividia voz e palco com um cantor que não conhecia. Nos primeiros segundos da música, fui tomada por uma emoção musical, por algo tão contagiante, que só escutava essa música. Eu não ficava enjoada, pelo contrário, queria escutar mais músicas do cantor que estava ao lado de Maria Gadú.
      Vi na descrição do vídeo o nome do cantor, Luis Kiari. Nesse primeiro momento, descobri que a música era de sua autoria, em parceria com Caio Sóh. Rapidamente, pesquisei se tinha algum canal no Youtube, e para minha felicidade tinha o canal e outras músicas. Depois, fui pesquisar no Facebook sobre o cantor, e mais uma descoberta, tinha uma página do cantor, acessei e curti. Minha reação no momento dessas descobertas foi: “Como não conheci esse cantor antes?”.
     Enquanto escutava as músicas do cantor pelo canal do Youtube, lembrei de uma conversa com uma amiga Paraibana, ela disse que Maria Gadú cantava música de autoria de um cantor da Paraíba. Na hora fiz a associação com o cantor, e pensei: “Como deixei passar essa informação?”. Desde então, sou uma admiradora do belíssimo trabalho de Luis Kiari.
    O músico e compositor nasceu em 15 de julho de 1982, em Campina Grande, na Paraíba. As principais influências musicais foram Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Jackson do Pandeiro. O próprio Luís relata que o envolvimento dele com a música foi na infância, enquanto o pai cantarolava músicas de Nelson Gonçalves, Agnaldo Timóteo, entre outros. Durante a adolescência o contato foi através dos irmãos cegos que tocavam instrumentos musicais, foi nessa época que aprendeu a tocar violão. (1) (2)
        Aos 19 anos chegou no Rio de Janeiro, dava aula de músicas de violão por indicação dos amigos. Foi nesse momento de sua vida que conheceu seus parceiros de composição, Caio Sóh, Gugu Peixoto e Fred Somer (1). O cantor relata que

“A difícil adaptação do menino do interior do nordeste à realidade de uma grande cidade e a angústia silenciosa deste choque cultural resultaram na minha primeira composição, em 2004, chamada “Terra Ardente”. A partir daí não parei mais”. (1)

    No mesmo ano de sua composição, participava de encontros de música e poesia com jovens artistas, no apartamento do seu amigo e compositor Caio Sóh. Nesses encontros artísticos, conheceu Maria Gadú, que gravou em 2009 a canção composta por Luis e Gugu Peixoto, “Linda Rosa”. Então, dividiu inúmeros shows com a cantora, inclusive o dueto “Quando fui chuva”, na gravação do DVD de Gadú. (1) Há dois anos (2015), Luis lançou seu CD “Três”, e faz um relato muito bonito sobre sua obra musical:




      O que falar desse músico e compositor? As palavras faltam, mas a admiração pelo artista cresce. Suas músicas transcendem os signos linguísticos, tocam nossa alma, nossas emoções. Escutar e sentir a emoção de um cantor é o objetivo de muito músicos, mas poucos conseguem. Com certeza, a obra de Luis alcança esse patamar tão desafiador.
     Somos gratos, Luis, por termos um artista tão completo e fascinante. Continue com sua jornada musical, e nos ofereça cada vez mais músicas preciosas para nos encantar e espalhar sua sinceridade emocional.  Para acessar o trabalho de Luis Kiari, segue os links:



Fonte bibliográfica


Texto: Winnie Gomes

Tecnologia do Blogger.