Aline Lessa: música vintage autêntica


Sabe aquelas músicas com estilo retrô, mas ao mesmo tempo tem um toque moderno? Pois é, eu sinto isso quando escuto Aline Lessa. Conheci a cantora através de um vídeo publicado na página Brasileiríssimos (Facebook). No vídeo, Aline canta a música “Insensatez”, de Tom Jobim e Vinícius de Moraes, num clima bem intimista, somente ela e seu violão. Achei a releitura da música tão linda, Aline com voz sua meiga e forte em cada palavra, chamou minha atenção e despertou minha curiosidade para conhecer mais sobre a cantora. Confiram o vídeo para vocês entenderem a dimensão musical de Aline:


A cantora formada em Comunicação Social – Rádio e TV, começou a estudar música aos 10 anos de idade na Escola Villa-Lobos, onde estudou piano, teclado e canto, e aos  12/13 anos compôs suas primeiras músicas. (1)
Em 2008 participou como instrumentista e compositora da banda Tipo Uísque. A banda com estilo rock alternativo e músicas em inglês, lançou dois “EPs” pela Som Livre e cantaram em festivais internacionais, como o SXSW e Canadian Music Week. (2)
Após seis anos com a banda, Aline decidiu seguir carreira solo e lançou em 2015 seu primeiro álbum com o produtor musical e multi-instrumentista Elisio Freitas. As músicas têm influências de MPB, Música Latina, Jazz, Indie Rock e Música Eletrônica. Foi premiada no Festival Paranaense Femup com umas das composições de seu álbum. (3)
Em uma entrevista para o site Música Pavê, a cantora diz que suas influências para construção do álbum foram cantores do seu repertório pessoal, como Cartola, Adriana Calcanhotto, Chico Buarque e Los Hermanos até The Beatles, Pink Floyd, Radiohead, Mew, Metric, Elliott Smith. (4)
Eu adoro todas as músicas do álbum, mas as minhas preferidas desse álbum são, "Acontece", "Manhã", "Desembaraço". Em outra entrevista para o site Música Café, a cantora fala sobre o seu processo de composição (5):

“Compor, pra mim, sempre foi muito mais uma necessidade do que uma vontade. As músicas desse meu primeiro disco retratam momentos diferentes da minha vida. Busco inspiração nas minhas próprias dores e escrevo pra expressar o que não consigo dizer de outra maneira. O retorno que eu esperava com esse lançamento era não mais do que o que eu já venho recebendo: Pessoas escutando, se identificando e se emocionando com o trabalho”.

No segundo semestre deste ano, Aline lançou seu segundo álbum “Hoje falo por mim” em parceria entre o selo Biscoito Fino e a Garimpo Brasileiríssimos. O disco foi produzido por Domenico Lancellotti, com arranjo de Elísio FreitasBem GilAlberto ContinentinoFelipe Pacheco VenturaLourenço Vasconcellos e Pablo Arruda. (6)
Aline fez uma reilura belíssima da música "Indiferença" de Zezé di Camargo e Luciano. O segundo álbum, também, está disponível no canal do Youtube e, também, está à venda no site Biscoito FinoSobre o seu álbum, a cantora nos diz o seguinte: (7)

“As músicas desse álbum foram todas compostas em um mesmo período. Eu estava vivendo um relacionamento muito intenso e conturbado e o que me trazia leveza era escrever. À medida que iam surgindo, as músicas não só me ajudavam a colocar para fora o que eu não conseguia expressar de forma objetiva, como me contavam o que eu mesma precisava ouvir”


Eu analiso os dois álbuns de Aline numa palavra-chave: amor. As músicas falam sobre os sentimentos, as dores e as aflições do amor. É tão fantástica cada composição e o estilo retrô das músicas nos oferece uma experiência musical única, com músicas profundas e reflexivas sobre a vida. 
Essa nova geração da MPB tem nos mostrado uma construção musical autêntica, com verdade e muita competência. Aline Lessa, com certeza representa essa nova geração, com músicas profundas e com muita criatividade. Parabéns Aline, o Facetas Culturais apoia seu trabalho, já somos fãs do seu trabalho.

Texto: Winnie Gomes


Fonte:
7. Hoje falo por mim 
Tecnologia do Blogger.