As 13 virtudes de Benjamin Franklin


Final do ano está batendo na porta e ficamos motivados para traçar novas metas para 2018. Pensando neste clima, comecei a ler um livro que ganhei essa semana no “amigo livro”. O título do livro é “Transformação Interior” de Jussara Korngold. A autora do livro é presidente do Spiritst Group of New York, ou seja, a mesma faz parte da religião do Espiritismo. Contudo, a proposta do livro não é falar sobre a religião, mas sobre o método de mudança moral que Benjamin Franklin criou e desenvolveu no seu cotidiano, e sua relação com as Bem-Aventurança do Sermão da Montanha, de Jesus Cristo.
Quando li o capítulo sobre o método de desenvolvimento moral de Benjamin Franklin fiquei impressionada, pois desconhecia dessa sua história pessoal. Mas, quem é este homem? Sabe a história de um homem que fez um experimento com uma pipa durante uma tempestade? Pois bem, esse foi Benjamin Franklin, o cientista que descobriu a eletricidade.
Franklin nasceu no ano de 1706 em Milk Street, Boston, Estados Unidos. Largou os estudos aos 10 anos de idade e começou a trabalhar com seu irmão na impressão de um jornal local, mas depois de alguns anos (1732) começou a trabalhar como jornalista no Poor Richard’s Almanac (Almanaque do Pobre Ricardo). Em 1758 deixou de trabalhar no Almanaque do Pobre Ricardo e começou a se envolver nos assuntos públicos. Ele foi o responsável pela fundação da Universidade da Pensilvânia e da sociedade filosófica americana.
 Franklin exerceu muitas atividades, foi jornalista, editor, autor, político, diplomata, cientista, filantropo e funcionário público. Ele publicou um livro autobiográfico que reúne suas ideias e aconselhamentos. A obra intitula-se Autobiografia, disponível em português e no site EstanteVirtual. Eu ainda não li o livro, mas tomei conhecimento que neste livro, ele escreveu sua lista de 13 virtudes para alcançar o aprimoramento moral, o qual descobri no livro de Jussara Korngold.
Franklin criou essa lista aos 26 de anos idade e tinha como objetivo aplicar as virtudes em seu cotidiano. As 13 virtudes selecionadas foram (1):


1.   Temperança: "Não coma demasiadamente; não beba até embriaguez."
2.   Silêncio: "Não diga nada além daquilo que beneficie outros ou você mesmo; evite conversas tolas."
3.   Ordem: "Mantenha todas as coisas em seus devidos lugares; faça com que cada parte de seu negócio tenha o seu próprio tempo."
4.   Resolução: "Decida realizar aquilo que você quer; realize sem erro o que você resolver."
5.   Sobriedade: "Não tenha despesas além daquelas que proporcionarão o bem aos outros ou a você mesmo, isto é, não desperdice nada."
6.   Diligência: "Não perca tempo; esteja sempre ocupado com algo útil; elimine todas as tarefas desnecessárias."
7.   Sinceridade: "Não cometa fraude; pense inocentemente e com justiça; e, se você falar, fale verdadeiramente."
8.   Justiça: "Não erre, prejudicando os outros ou omitindo os benefícios que são de sua obrigação."
9.   Moderação: "Evite extremismos; não fira os outros, apesar de achar que mereçam."
10. Limpeza: "Não tolere sujeira no corpo, roupa ou habitação."
11. Tranquilidade: "Não fique nervoso por ninharias ou com acidentes comuns e inevitáveis."
12. Modéstia: "Dê vital importância apenas a saúde e o bem-estar; evite a estupidez, fraqueza e as coisas que possam prejudicar você e os outros."
13. Humildade: "Imite Jesus Cristo e Sócrates."

Pensem comigo, uma lista de virtudes selecionadas em pleno século XVIII, mas é atual. Quando li no livro de Jussara, na hora eu pensei: “Nossa! A sociedade precisa desses valores”. Então, comecei a refletir a falta dessas virtudes nos dias atuais, seja no contexto político ou pessoal, e como vivemos numa sociedade de mudanças constantes que não permite identificarmos nossas próprias mudanças.
A triste verdade é que esquecemos de nós. Apenas paramos para refletir nossos comportamentos no clima natalino, com a esperança de mudança. Isso é muito bom, mas essa motivação logo é esquecida no 1º dia do ano, pois já pensamos nas obrigações, nas festas, nos objetos que queremos comprar, e mais uma vez nossas metas de mudanças são esquecidas.

 Então, caro leitor, eu peço que você se inspire em Benjamin Franklin (como eu, que já escrevi no meu mural essa lista), e não se esqueça de você, de seus valores e de quem você é de verdade. Tente fazer o esforço de aplicar diariamente, pequenas mudanças que você deseja melhorar em você. Vá com calma, a mudança demora, mas não desista de você, acredite, depois torna-se um hábito.

Texto: Winnie Gomes

Fonte

Tecnologia do Blogger.