Cartas de amor de personalidades da literatura

Para aproveitar o mês das noivas e a celebração do amor com o casamento real de Harry e Meghan, eu fiz uma pequena pesquisa em outros blogs e selecionei algumas cartas de amor de personalidades da literatura que escreveram para suas amadas(os). Não deixem de ler as outras cartas nos blogs, há outras personalidades que vão impressionar vocês.


Ludwig Van Beethoven para sua "Amada Imortal"


Retrato feito por Joseph Karl Stieler (1820)
Imagem: Wikipédia
Beethoven (1770-1827 foi um compositor alemão. É conhecido por suas músicas belíssimas músicas clássicas.
Seu amor me faz ao mesmo tempo o mais feliz e infeliz dos homens. Na minha idade eu preciso de estabilidade, de uma vida tranquila - pode isso existir nessa circunstância? Anjo, acabo de ser informado que o carteiro sai todos os dias, por isso devo terminar logo para que você possa receber a carta logo. Fique tranquila, me ame, hoje, ontem, desejos sofridos por você, você, você, minha vida, meu tudo, adeus. Oh, continue a me amar, jamais duvide do coração fiel de seu amado.Mesmo ainda na cama, os meus pensamentos vão até você, minha Amada Imortal, às vezes felizes, depois tristes, esperando pelo Destino, se é que ele nos ouvirá. Eu só posso viver completo ao seu lado ou não viver. Sim, estou determinado a vagar por tanto tempo e tão longe até que consiga voar para os seus braços e dizer que estou em casa, poder enviar a minha alma envolta pela sua até o reino dos espíritos - sim, isto deve ser tão infeliz. Você será mais contida quando souber da minha fidelidade à você; nunca outra jamais poderá ter o meu coração, nunca - nunca! Oh, Deus! Por que um precisa estar separado do outro quando se ama, e ainda minha vida em V[iena] é agora uma vida miserável.
Do seu amado
L

Sempre teu
Sempre minha.
Sempre nosso.


Franz Kafka para Felice (1912)

Imagem: Wikipédia
Kafka (1883-1924) foi um escritor alemão. Conhecido por sua obra A Metamorfose.

Querida Felice!
Vou agora te pedir um favor que soa um tanto louco, e que eu deveria considerar como tal se fosse eu a receber a carta. É também o maior teste possível até mesmo para a pessoa mais bondosa do mundo. Bem, é isto: escreve para mim apenas uma vez por semana, de forma que a sua carta chegue no domingo — porque não consigo suportar suas cartas diárias, sou incapaz de suportá-las. Por exemplo, eu respondo uma de suas cartas, depois deito na cama em aparente calma, mas meu coração retumba através do meu corpo inteiro e está consciente apenas de ti. Eu pertenço a ti; não há realmente outra forma de expressar isso, e não há força o bastante. Mas por essa mesma razão eu não quero saber o que estás vestindo; isso me atormenta tanto que não consigo lidar com a minha rotina; e é por essa mesma razão que não quero saber se gostas de mim. Se eu soubesse, como poderia, bobo que sou, ir e sentar no meu escritório, ou aqui em casa, em vez de saltar em um trem com meus olhos fechados e apenas abri-los quando estiver contigo?



Victor Hugo em Carta a Juliette Drouet

Victor (1802-1885) Romancista, poeta, dramaturgo. Escritor a obra prima Os Miseráveis

O Meu Gênio Vem de Ti

O que me acalma ou o que me agita, o que me torna alegre ou triste, o que refulge no meio da noite, a meu lado, e me alumia mil vezes melhor do que o candeeiro de trabalho, o que me encanta os dias durante os meus passeios solitários, os meus estudos, os meus devaneios, e até as mais enfadonhas tarefas, é a tua imagem, a lembrança de que existes, de que me amas, de que me esperas, de que pensas em mim! Se tenho algum gênio, é de ti que me vem. 
Amo-te Mais do que Nunca

Acabei, enfim, acabei! E logo me precipito a enviar-te uma palavrinha! Amo-te, és a minha vida, toda a minha vida. Aqui estou, pois, liberto! Que alegria! Até logo! Amo-te mais do que nunca. E tu, como te sentes esta manhã, minha alegria? Passaste bem a noite, ao menos? Irei encontrar o teu belo rosto radioso como o céu, que ontem chorava e hoje sorri? Preciso que tenhas saúde, que me ames, que sejas feliz. Preciso de ti, da tua saúde, do teu amor, da tua felicidade. Sabes, pobre querida, que podes viver descansada enquanto eu viver. O céu fez as minhas mãos para que reparassem a tua vida meio desfeita, a minha alma para compreender o teu coração, os meus lábios para beijar os teus pés. 

Fonte: Victor Hugo


Fernando Pessoa em “Carta a Ofélia Queiroz” (1920)                                           
Imagem: Wikipédia

Fernando (1888-1935) foi poeta, filósofo, ensaísta português. Também, conhecido por outros nomes: Alberto Caeiro, Álvaro de Campos, Ricardo Reis, Bernardo Soares 

Com Quantos Tenho que Casar?


Querida íbis: 
Desculpa o papel impróprio em que te escrevo; é o único que encontrei na pasta, e aqui no Café Arcada não têm papel. Mas não te importas, não? 
Acabo de receber a tua carta com o postal, que acho muito engraçado. 
Ontem foi — não é verdade? — uma coincidência engraçadíssima o facto de eu e minha irmã virmos para a Baixa exactamente ao mesmo tempo que tu. O que não teve graça foi tu desapareceres, apesar dos sinais que eu te fiz. Eu fui apenas deixar minha irmã ao Avda. Palace, para ela ir fazer umas compras e dar um passeio com a mãe e a irmã do rapaz belga que aí está. Eu saí quasi imediatamente, e esperava encontrar-te ali próximo para falarmos. Não quiseste. Tanta pressa tiveste de ir para casa de tua irmã! 

E, ainda por cima, quando saí do hotel, vejo a janela de casa de tua irmã armada em camarote (com cadeiras suplementares) para o espectáculo de me ver passar! Claro está que, tendo visto isto, segui o meu caminho como se ali não estivesse ninguém. Quando eu pretendesse ser palhaço (para o que, aliás, o meu feitio natural pouco serve) oferecia-me directamente ao Coliseu. Era o que faltava agora! Que eu tolerasse a brincadeira de ser dado en spectacle para a família! 

Se não havia maneira de evitares estares à janela com 148 pessoas, não estivesses. Já que não quiseste esperar-me ou falar-me, ao menos tivesses a cortesia — já que não podias aparecer só à janela — de não aparecer. 
Ora eu não posso estar a explicar-te estas coisas. Se o teu coração (supondo a existência desse senhor) ou a tua intuição te não ensinam instintivamente estas cousas, eu, por mim, não posso constituir-me em teu professor delas. 

Quando me dizes que o que mais desejas é que eu case contigo, é pena que me não expliques que tenho ao mesmo tempo que casar com tua irmã, teu cunhado, teu sobrinho e não sei quantas freguesas da tua irmã. 

Sempre e muito teu  
Fernando 

Esta carta foi escrita no esquecimento de que costumas mostrar as minhas cartas a toda a gente. Se me tivesse lembrado disso — acredita — eu tê-la-ia suavizado um pouco. Mas agora já é tarde; não importa. De resto, nada importa. F. 


Fonte: Fernando Pessoa


Oscar Wilde em “Carta a Alfred Douglas” (1883) 

Imagem: Wikipédia
Wilde (1854-1900), foi escritor, poeta e dramaturgo inglês.

A Tua Alma de Ouro
Meu querido rapaz, 
O teu soneto é deveras bonito, e é uma maravilha que esses teus lábios da cor de rosas encarnadas tenham sido feitos tanto para a loucura da música e das canções como para a loucura do beijar. A tua alma de ouro caminha entre a paixão e a poesia. Eu sei que Hyacinthus, que Apollo amou tão perdidamente, eras tu nos tempos Gregos. Porque estás sozinho em Londres, e quando irás para Salisbury? Vai até lá para refrescar as tuas mãos no crepúsculo cinzento das coisas góticas, e vem aqui sempre que quiseres. É um lugar adorável, e falta-lhe apenas a tua pessoa; mais vai primeiro a Salisbury. 

Sempre teu, com amor eterno, 

Oscar 


Fonte: Oscar Wilde


Khalil Gibran em “Carta a Mary Haskell” (1914) 

Resultado de imagem para Khalil Gibran
Imagem: Citador
Gibran (1883-1931) Poeta, ensaísta e pintor de origem libanesa. Famoso por sua obra O Profeta

Tens o Dom da Compreensão
Tens o dom da compreensão, minha amada Mary. Tu és como o Grande Espírito que se aproxima do ser humano, não apenas para dividir os seus dias com ele; mas para fazer com que sejam mais intensos. Quando te conheci, o milagre desse teu dom fez com que os meus dias e noites mudassem por completo. 
Sempre pensei que quando alguém nos entende acaba por nos escravizar - já que aceitamos tudo para sermos compreendidos. No entanto, a tua compreensão trouxe-me a paz e a liberdade mais profunda que já experimentei. Nas duas horas da tua visita, descobriste um ponto negro no meu coração; tiraste-o do meu peito, tocaste-o, e ele desapareceu para sempre - quebrando as correntes que me aprisionavam. 
Que Deus te abençoe. 



       O que acharam das cartas de amor? Impressionante, hein? Eu sei que tem um livro chamado Para Sempre – 50 cartas de amor de todos os tempos, de Emerson Tin (2009), mas nunca li. Com certeza deve ter estas personalidades e outras, achei a ideia do autor fantástica. O livro está disponível no site da Estante Virtual

            Espero que vocês tenham gostado do texto. Aproveitem as cartas de amor para se inspirarem.

Texto: Winnie Gomes

Tecnologia do Blogger.