Sobre aqueles músicos que nos encantam: Wister


      Minha gente, cada vez mais fico tão feliz em descobrir talentos tão maravilhosos pela internet. Eu adoro pesquisar no Youtube e desta vez encontrei o Wister. Um encanto de voz e música no estilo MPB, e ainda é nordestino (sou suspeita para falar, mas eu sou encantada por essa região), diretamente da Paraíba.
Eu descobri o Wister pelo cantor Luis Kiari (Já escrevemos sobre ele aqui no blog) em uma de suas lives no Facebook, mas eu ainda não tinha pesquisado. Então, resolvi pesquisar no Youtube e encontrei seu canal. A primeira música que eu escutei foi “Enquanto isso” em parceria com Luis Kiari. A música é tão linda, leve, já perdi a conta de quantas vezes escutei. É uma música que passa tranquilidade. Os autores da música são Zé Mauro e Wister. Minha gente, assistam ao vídeo e vocês vão entender do que estou falando:


Pesquisei pela internet e descobri que ano passado o Wister iniciou uma campanha de financiamento coletivo no Benfeitoria, para gravar seu terceiro disco, “(c)asa”. Felizmente, o Wister conseguiu financiar a gravação do seu disco Assistam o vídeo que ele narra de modo tão poético sobre o disco “(c)asa”:



No site da Benfeitoria encontrei algumas informações sobre a vida do cantor. Eu realmente não consegui transcrever com minhas próprias palavras o que o Wister fala sobre ele, então segue o texto:

Desde cedo tive comigo sempre o hábito de deixar no papel aqueles sentimentos que estavam por perto, mas confesso que nessa época nem imaginava que um dia poderia me sentir compositor. A relação com a música veio de muito cedo, apesar de não ter nascido em uma família com tradição musical tive contato com um repertório muito eclético e interessante em casa, isso me influenciou enormemente.
Consegui finalizar meu primeiro disco em 2007 com a produção do querido Renato Oliveira. Novos Rabiscos foi uma experiência linda e muito recompensadora, foram três anos de luta para conseguir tirar do papel esse projeto, afinal precisei contar com uma enorme paixão pela música, uma força de vontade gigante e a parceria de grandes amigos, o disco teve 100% das suas faixas executadas em rádios do segmento na minha cidade, era um sonho.
Apenas 8 anos depois, em 2015, consegui fechar meu segundo disco, também com muito esforço já que, assim como o primeiro, este segundo álbum foi completamente independente. Eu Daqui é um disco do qual muito me orgulho, cheio de referências à manifestações de música popular, um disco curto com apenas oito faixas como resultado de um custo alto para se produzir com uma certa qualidade, reflexo dessa batalha que é ser artista independente no Brasil.
Em 2017 completo dez anos nessa estrada linda, cheia de pequenos e grandes obstáculos, mas da qual tirei todo o aprendizado que me guia hoje, e ao fim desta década de caminhada me preparo para gravar meu terceiro disco, uma coleção de canções simples pra falar da vida que merece ser vivida, das coisas reais, do amor real”.

Para mim, o Wister, já é para mim, um daqueles músicos que entra na nossa lista de músicos preferidos. Acho tão poético sua música como um todo, voz, letra e melodia. Infelizmente, não pude contribuir para a gravação do seu disco, mas com certeza em uma próxima irei ajudar, e não apenas o Wister, mas outros músicos tão maravilhosos que estão espalhados pelo Brasil e buscam oportunidade para gravar seu disco. Pessoal, acho super válido conhecermos o Benfeitoria, uma plataforma que podemos contribuir para projetos de impacto social, cultural, econômico e ambiental.

Para vocês conhecerem mais sobre o Wister, confiram o canal dele no Youtube, tem várias músicas. Ele também tem o site oficial, e as redes sociais Facebook, Instagram e Spotify.


Texto: Winnie Gomes

Tecnologia do Blogger.